quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Como a fotografia pode ser vista por uma pessoa com deficiência visual


Há exatos seis anos, publiquei o artigo Acessibilidade e tecnologias de apoio à inclusão de pessoas com necessidades especiais (PNE) no ensino superior, duplicado em diversos sites orientados à pessoa com deficiência.

Naquela ocasião, eu recebi um email enviado por um rapaz que dizia ter tido muito boas referências sobre aquele texto e sua utilidade, porém, como era cego, lamentava o fato de não ter acesso ao conteúdo que estava publicado em arquivo fechado (um recurso que costumávamos utilizar para evitar cópias desautorizadas) - que não podia ser traduzido pelos programas que convertem os conteúdos de imagem e texto em voz.

Veja que ironia: justo um rapaz cego, quem mostrou o quanto eu também sofria da "falta de visão", neste caso, da visão do todo, da alteridade; e que, a despeito do meu trabalho de informação, eu estava deficiente.

Desde então, me desapeguei completamente da preocupação com minha propriedade intelectual, passando a publicar artigos passíveis de cópia e duplicação. Além disso, passei a sensibilizar desenvolvedores de sites e provedores de conteúdo, para a produção de conteúdos sob as normativas de acessibilidade.

O consórcio W3C, por exemplo, introduziu normas de acessibilidade para conteúdos publicados na web, mas como nossa fotografia pode ser "vista" por pessoas que perderam total ou parcialmente a visão ou são daltônicos?

O ditado "é preciso ver para crer", foi adaptado para "é preciso CRER para ver", para sensibilizar pessoas às práticas de inclusão visual. Isto porque uma pessoa cega não é desprovida de imaginação!

Mesmo uma pessoa que já nasceu sem a visão, ao logo da vida será capaz de aprender a reconhecer tudo o que há ao seu entorno. Do contrário, não teria mobilidade, nem tampouco se relacionaria com outras pessoas, objetos, lugares, sons.

A temperatura das cores, a sensação de claridade e escuridão também podem ser sentidas. Se o deficiente visual é ouvinte, tem na audição um recurso poderoso de capturar o mundo!

Leia a seguir um trecho do post de André Carioca, do blog Cotidiano Cego, que fala da relação entre cegos e imagens:

"(...) Eu comentei que gosto muito de cinema e ele disse: como? você não vê filme nenhum! Existem formas de se entender um filme sem a visão. Além dos diálogos que existem em vários filmes, existem também os efeitos sonoros que nos fazem ter ideia do que acontece. Talvez, para uma pessoa que enxerga e não está acostumada a se atentar para esses detalhes, seja difícil imaginar. Tem também um outro recurso chamado audiodescrição, que atualmente é usado algumas vezes. Sabe aqueles aparelhos de tradução simultânea que são distribuídos em algumas palestras? Eles têm um fone de ouvido por onde você escuta a tradução. Então: em algumas seções de cinema e outros eventos, é entregue um desses pelo qual o cego escuta a descrição das cenas mudas além, no caso de um filme com legenda, a leitura da mesma. Recurso muito interessante."

Sobre a audiodescrição, encontrei em minhas pesquisas o Guião para a produção de texto descritivo - que me serve perfeitamente como referência para a elaboração de um guia para descrição das imagens fotográficas.

Veja a seguir a descrição que faço da imagem:No centro da fotografia digital, moça de pele clara, cabelo chanel e escuro, agachada à beira do mar, trajando um longo vestido vermelho (tomara-que-caia), de modo que os joelhos fiquem juntos ao peito, tem a mão esquerda apoiada no joelho esquerdo, enquanto a direita revolve a areia em busca de conchinhas, talvez. Sua imagem é refletida na água em movimento, de modo que parece uma pintura espatulada. O curioso é que a foto recebeu tratamento que a deixou com a metade superior em preto e branco e o reflexo (inferior) em cores.

No centro da fotografia digital, moça de pele clara, cabelo chanel (corte clássico de fio reto até o pescoço) e escuro, trajando um longo vestido vermelho "tomara-que-caia"(do tipo que cobre os seios, mas deixa o colo e ombros nús), está agachada à beira do mar de modo que os joelhos estão juntos ao peito; e tem a mão esquerda apoiada no joelho esquerdo, enquanto a direita revolve a areia em busca de conchinhas, talvez. Sua imagem é refletida na água, que em movimento faz parecer uma pintura espatulada. O curioso é que a foto recebeu tratamento que a deixou com a metade superior em preto e branco e o reflexo (inferior) em cores.

Agora, experimente ler em voz alta esta descrição para alguém e em seguida mostre a imagem, pedindo para que a pessoa diga o quão perto ela pode chegar da imagem a partir da sua descrição.

Como se pode ver, basta dedicar um tempo à descrição das imagens e já vamos poder compartilhar nossos saberes com deficientes visuais, também.

Estou buscando uma maneira de inserir as descrições da imagem no blog. Vou ter de fazer através de códigos, mas deixo a sugestão para que as ferramentas para o upload das imagens contenham um campo descritivo.

E considerando que 16,7% da população têm alguma deficiência visual, está mais do que na hora de praticarmos a inclusão - sem contar que este é, por natureza um público consumidor de informação e arte!

Para conhecer melhor o problema, leia o artigo sobre como as pessoas cegas usam a internet.

Foto: "between two worlds by Daveturtl"- Photobucket

Boletim Informativo do Fotoclube do Alto Tietê - Ano 1 - nº3

ANO 1 - Nº3
EDITORIAL


Sempre gostei de ensinar. Até porque, creio eu que ainda seja a melhor maneira para eu aprender, digo, "da forma mais rica". Quase sempre que ensino algo, alguém insere uma contribuição àquela informação, e assim um novo conhecimento é gerado.

Não é à toa que nossos encontros são realizados em uma sala de aula (e que sala!). Ali dispomos dos melhores recursos para o aprendizado coletivo. Assim, penso que cada um de nós volta para casa - depois de uma noite agradável - levando "algo mais" para somar ao seu repertório, para o exercício da fotografia e, porque não dizer, para a própria vida.

Nosso trabalho de memória começa efetivamente com essa primeira saída fotográfica à Sabaúna que fará 383 anos, agora. Além disto, este boletim fala do bate-papo com José Antônio de Assis, convidado do Clube da Imagem; fala também sobre o exercício de criatividade com nossos objetos de estimação; traz um importante estudo sobre a fotografia de casamento e, de quebra, pretende sensibilizar quanto à inclusão visual no tutorial que mostra "como a fotografia pode ser 'vista' por uma pessoa com deficiência visual".

Boa leitura!


Tina Andrade - presidente
fotoclube.altotiete@gmail.com


ÚLTIMA CHAMADA PARA SABAÚNA!
foto: acervo da Associação Nacional de Preservação Ferroviária

Última chamada para nossa primeira saída fotográfica à Sabaúna, neste sábado (27/11), com o objetivo de realizar imagens para a composição do acervo imagético da cidade - que passará uma reforma.

A Secretaria de Cultura disponibilizou para o Fotoclube mais um veículo de transporte, tornando possível aceitar mais inscrições até esta sexta (26/11) às
16h00 impreterivelmente.

Nosso grupo já conta com cerca de 15 participantes! Lá, seremos ciceroneados (trés chic!) pela rep
órter Mariana Leal, que gentilmente dará uma nota sobre nossa passagem, no caderno especial sobre a cidade, que será publicado neste domingo (28/11) no Jornal O Diário. Desde já fica registrado o agradecimento por nos prestigiar.

Nos encontraremos às 8 da manhã de sábado no Largo do Carmo e a tolerância será de 15 minutos. A fim de
evitar constrangimentos, é importante esclarecer que a quantidade de acentos é limitada, por isso só poderá embarcar quem tiver sido inscrito dentro do prazo estabelecido.

A programação estará sendo distribuída no embarque. O retorno está previsto para 15h00. Sugerimos que cada um leve um vasilhame de salgados e um suco para o pique-nique. O TRANSPORTE É GRATUITO.

Os interessados em participar deverão enviar uma mensagem para fotoclube.altotiete@gmail.com colocando na linha do assunto: "eu vou!".



F5


Na última edição do nosso interCLICKS, sugeri que os participantes levassem ao nosso encontro, seu objeto de estimação. Feito isto, partimos para o exercício de criatividade "fora do lugar". A ideia é levar este objeto para fora do seu contexto e explorar as mais diversas possibilidades.

Para ilustrar a aula, levei uma imagem de Bodidarma ou "Daruma", como é conhecido, cuja tradição é pintar um dos olhos enquanto é feito um pedido e o outro quando este é realizado. Os resultados deverão ser entregues em CD identificado em tempo hábil para a análise em sala.

CLUBE DA IMAGEM

Foto: Tina Andrade

José Antonio de Assis foi nosso convidado do Clube da Imagem na reunião passada. Como já é sabido, o "clube da imagem" é um bate-papo informal com pessoas que se utilizam da fotografia em suas atividades profissionais, ou seja, não-fotógrafos para os quais a imagem fotográfica é um recurso essencial para o sucesso de seu trabalho.

"Zé Antonio" investiu pesado na comcepção e implementação de um negócio que seguramente promoveu uma inovação no mercado da imagem: uma helicâmera - misto de modelo de helicóptero com uma câmera acoplada que é operada por rádio.

Além da ideia ser muito feliz, o nicho de mercado no qual decidiu atuar é extremamente promissor: off-shore. Zé presta serviço para a Petrobras, mas começa a expandir seu negócio e já está começando a fabricar modelos pensando em franquear a marca.

Entrevistado por nós, disse que o maior desafio foi aprender a driblar os obstáculos naturais como por exemplo os ventos fortes, as oscilações e manter a estabilidade do conjunto para capturar imagens de altissima definição como as que ele consegue. Qualquer falha de operação representa um alto risco.

Atualmente ele trabalha forte para garantir maior autonomia de voo. É um fato que ele e a mulher Milene (que neste caso pilota a câmera), a cada tentativa de melhoramento do serviço estão, de fato, criando mais recursos tecnológicos que beneficiam o campo da fotografia.

TUTORIAIS

Como a fotografia pode ser "vista" por uma pessoa com deficiência visual.

ESTUDOS DIRIGIDOS

Jorge Viana Santos, doutor em Linguística pela Unicamp e professor na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), elaborou um trabalho que é de grande valia para nossos estudos dirigidos à fotografia de casamento, intitulado "Fotografia, memória e mito: o álbum de casamento como recriação imagética de um rito social". Recomendamos que os interessados vão até o menu estudos dirigidos> textos> acadêmicos em nosso blog e façam a impressão do documento para a dinâmica em sala.

NOSSO PRÓXIMO ENCONTRO...
... está marcado para a quarta-feira, 1/12/2010. Os participantes deverão levar consigo o cd-rom identificado com nome, data e a expressão "fora de lugar", contendo as imagens resultantes do exercício de criatividade proposto em sala.

Na programação:

- apresentação dos novos integrantes;
- exercício de catalogação de imagens para o acervo DPH com as fotos de Sabaúna;
- exibição dos resultados do exercício de criatividade;
- instruções para o I Fotoescambo do Alto Tietê;
- estudo sobre o texto do Prof. Dr. Jorge Viana Santos (Uesb).

LEMBRETE: não esqueça de entregar suas fotos 3x4 (impressas ou digitalizadas para a confecção da carteirinha, a fim de poder usufruir dos benefícios especialmente criados pelo Fotoclube graças às suas políticas de parceria.

O que mais você pode fazer agora:

- enviar o seu Pedido de Admissão (caso ainda não o tenha feito)
- seguir nosso blog
- inscrever-se no grupo #fotoclubedoaltotiete no Flickr
- enviar este boletim para pessoa(s) do seu relacionamento a quem esta informação possa interessar




fotoclube.altotiete@gmail.com

http://fotoclubedoaltotiete.blogspot.com

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Sábado 27/11: saída para Sabaúna

Estação Ferroviária de Sabaúna - foto de Heloisa Rizzi

Saída Fotográfica:

Destino: Sabaúna
Transporte: gratuito
Partida: 8h00 do Largo do Carmo
Chegada: 15h00 no mesmo local

Objetivo:

Sabaúna é dona de um ar bucólico e está na rota de diversos eventos culturais. Contudo, há um esforço para aquecer as atividades turísticas da região, através de obras de recuperação do patrimônio histórico e cultural da cidade no intuito de revigorar tão doce paisagem.

Ubirajara Nunes, do Departamento do Patrimônio Histórico, falou em recente encontro no Fotoclube, da necessidade de reunir um acervo imagético de Sabaúna para um comparativo entre o "antes e o depois".

Assim, o Fotoclube convoca membros e interessados para este passeio que tem o levantamento fotográfico do lugar como principal missão.

As imagens resultantes desta incursão que estiverem em conformidade com o que está sendo proposto, serão devidamente catalogadas e inseridas na pasta que o Fotoclube tem junto ao Departamento do Patrimônio Histórico.

Faz-se necessário que esta confirmação seja feita até às 16h00 desta sexta-feira, dia 26 de novembro, pois as vagas são limitadas.

Informações complementares:

- Boné, protetor solar, calçado e roupas confortáveis garantem um bom passeio.
- Sugerimos que cada participante leve uma vasilha de salgados e uma bebida, para o pique-nique às 12h00.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Boletim Informativo do Fotoclube do Alto Tietê - Ano 1 - nº2

ANO 1 - Nº2
EDITORIAL


"Conhecimento é experiência. O resto é informação." - sempre tive nesta frase de Einsten uma imensa fonte de inspiração. Entre meus objetivos junto do Fotoclube do Alto Tietê, está o provimento de conteúdos que nos permita gerar novos conhecimentos no campo da fotografia.

Acredito que se o conhecimento faz a gente enxergar o mundo de uma maneira diferente, também pode transformar o ato de fotografar.

Por esta razão, para os nossos encontros estão programadas leituras, dinâmicas, exercícios, palestras, exibições de vídeos, vivências, debates, entre outras tantas formas de ampliar o repertório dos nossos associados e com ele, novas janelas de oportunidades.

É ou não é uma proposta sedutora para dar um "refresh"? Vamos lá! Comece agora mesmo, dedicando preciosos minutos à leitura deste informativo.


Tina Andrade - presidente
fotoclube.altotiete@gmail.com


F5


Nosso blog começa a ganhar seguidores - o que nos deixa ainda mais motivados! Mas isso é uma consequência natural de um trabalho dedicado e orientado a resultados. Nesta semana foram abertas as seções Concursos e Videoteca - nesta última, foram postadas duas entrevistas incríveis! Dê só uma olhada:

"Porque que algumas imagens singelas ficam no imaginário coletivo e outras não? Não são as fotos mais impactantes as que ficam; eu acho que são as fotos que capturam alguma coisa do mistério da vida, do inconsciente." - Antonio Augusto Fontes. [+]

"Minha opção por ser fotógrafo talvez tenha sido até baseada neste mito: eu queria comer todas as mulheres, queria ser o cara lá do filme do GrowUP - que é a imagem mítica do fotógrafo que se joga em cima das mulheres com a câmera fotográfica; a câmera é meio um símbolo fálico, enfim, mas aí você vai amadurecendo, vai crescendo e por conta da minha formação eu nunca caí nessa cilada..." - Bob Wolfenson em trecho da entrevista à Trip FM. [+]

TUTORIAIS

A linguagem do ensaio

Este artigo traz informações essenciais sobre como elaborar um bom ensaio fotográfico. [+]

Como geoposicionar suas fotos no Flickr

Uma das exigências para ingressar no grupo #fotoclubedoaltotiete é a de geoposicionar suas fotos. E por quê? A razão é simples: estamos construindo um acervo de memória da região do Alto Tietê e por isso, torna-se condição sine-qua-non que cada membro revele o ponto (pelo menos aproximadamente) aonde foi realizada a captura da imagem.

Até aqui não tínhamos maiores compromissos com a informação no nosso photostream (área de submissão das imagens). Mas a fotografia documental nos exige isto. O bom é que se conseguirmos incorporar essa prática, isso irá naturalmente aumentar o potencial de encontrabilidade de nossas imagens, além da visibilidade, claro. [+]

ESTUDOS DIRIGIDOS

A bela e "o" fera


Este artigo comenta um teste aplicado do quadro "Menina Fantástica", que reunia animais no set fotográfico.

Fotografia e História

"Desde a sua descoberta até os dias de hoje a fotografia vem acompanhando o mundo contemporâneo, registrando sua história em uma linguagem de imagens. " - de autoria de Ana Maria Mauad, trata-se da primeira leitura sugerida para a Mesa de Luz.

NOSSO PRÓXIMO ENCONTRO...
... está marcado para a quarta-feira, 17/11/2010. Os participantes deverão levar consigo um objeto de estimação (exemplos: um brinquedo antigo, utilitários, souvenirs de viagens, bichos de pelúcia, vasos, etc.) em razão do exercício proposto.

Na programação:

- apresentação dos novos integrantes;
- exibição do ensaio trabalhado em sala;
- chamada para o I Fotoescambo do Alto Tietê;
- entre outras atividades.

LEMBRETE: os associados deverão apresentar duas fotos 3x4 (impressas ou digitalizadas para a confecção da carteirinha, a fim de que possam usufruir dos benefícios especialmente criados pelo Fotoclube graças às suas políticas de parceria.

O que mais você pode fazer agora:

- enviar o seu Pedido de Admissão (caso ainda não o tenha feito)
- seguir nosso blog
- inscrever-se no grupo #fotoclubedoaltotiete no Flickr
- enviar este boletim para pessoa(s) do seu relacionamento a quem esta informação possa interessar



fotoclube.altotiete@gmail.com

http://fotoclubedoaltotiete.blogspot.com

Concursos fotográficos


A CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FOTOGRAFIA ADVERTE:

ANTES de remeter uma fotografia autoral a quaisquer concursos, deve-se ler (a-ten-ta-men-te!) o item que se refere à cessão de direitos de imagem.
O Fotoclube do Alto Tietê coíbe esta prática que esconde o objetivo real de criar a CUSTO ZERO um banco de imagens para USO LIVRE.
Estes não são concursos, são ARMADILHAS!
Apoie esta causa.


Glossário
CESSÃO DE DIREITOS:
 Você transfere definitivamente os direitos sobre a sua foto ao organizador do concurso para ele fazer o que bem entender dela. A foto não é mais de sua propriedade.

LICENCIAMENTO: Você apenas autoriza, por tempo determinado, o organizador utilizar a sua foto somente para a exposição e divulgação do concurso. A foto continua sendo de sua propriedade.


---------------------------------
Nacionais

2º Salão Nacional de Arte Fotográfica de São Caetano do Sul
Data-limite: 15.10.2012
Prêmio Fotografia Syngenta
Tema:  A relação e as tensões entre os meios rurais e urbanos
Data-limite: 15.1.2013

---------------------------------
Internacionais


Veja a lista completa dos salões internacionais da Federação Internacional de Arte Fotográfica - FIAP

Nota: as informações dos concursos divulgados são de inteira responsabilidade dos seus respectivos organizadores e patrocinadores.

Colabore com a agenda de concursos: envie título (com link para o regulamento), tema e data-limite para o email fotoclube.altotiete@gmail.com

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Como geoposicionar sua foto no Flickr


Uma das exigências para ingressar no grupo #fotoclubedoaltotiete é a de geoposicionar suas fotos. E por quê? A razão é simples: estamos construindo um acervo de memória da região do Alto Tietê e por isso, torna-se condição sine-qua-non que cada membro revele o ponto (pelo menos aproximadamente) aonde foi realizada a captura da imagem.

Até aqui não tínhamos maiores compromissos com a informação no nosso photostream (área de submissão das imagens). Mas a fotografia documental nos exige isto. O bom é que se conseguirmos incorporar essa prática, isso irá naturalmente aumentar o potencial de encontrabilidade de nossas imagens, além da visibilidade, claro.

Como fazer


Há duas formas bem simples: a primeira é seguir o caminho Organize&Create (Organizar e Criar) > Your Map (seu mapa). Logo irá abrir a página com o mapa na parte superior e uma tira de fotos na parte inferior.

Basta "dragar" (ato de arrastar e soltar) as imagens para dentro do mapa. O programa irá perguntar automaticamente se você quer mais precisão, no caso o seu mapa estar sendo visualizado de uma forma muito ampla.

Também é possível salvar a forma como se prefere que o mapa seja visto quando um usuário acessar nossa página; e ainda atribuir uma tag específica para ele. Neste caso, eu escolhi #fotoclubedoaltotiete para mostrar Mogi das Cruzes, São Paulo - onde fica o nosso "QG".

A outra forma é no momento do upload (submissão da foto) para o Flickr. Ao subir a imagem, o programa sugere que você adicione uma descrição à imagem, título, tags, ajuste data, hora e também insira a sua foto no mapa que fica no canto superior direito da página (a depender do seu layout).

Para tanto, basta clicar no botão com a instrução add this photo to your map (adicione esta foto no seu mapa) e em seguida aparecerá a tela geográfica com todas as instruções possíveis de uso.

Essa pequena prática, pode (e deve!) ser vista como o início do processo de construção coletiva de um banco de imagens rico e dotado da diversidade.

sábado, 6 de novembro de 2010

A bela e "o" fera


Domingo desses "zapeava" canais, quando vi que o quadro Menina Fantástica (Rede Globo) anunciava uma prova fotográfica na qual as candidatas deveriam "encarnar" dois personagens distintos na mesma sessão fotográfica, dividindo a cena com cães, cobras e araras.

Apesar de o biólogo Luiz Latuf ter afirmado que as meninas poderiam relaxar , “porque (a cobra em cena) é um animal que está acostumado a ser manipulado, não tem veneno e é bem tranquilo”, a sessão não foi tão simples.

André Schiliró fez o ensaio das meninas. E mesmo não sendo obrigadas a posar com os animais, nenhuma quis ficar ao lado. Contudo, a baiana Tamires, que insistiu em fotografar com a serpente, não conseguiu esconder o medo, o que a levou para o "paredão".

“Eu morri de medo da cobra, e acho que passei isso para os jurados. Por isso, não fui bem”, reconhece Tamires. “Você tem de demonstrar que você não está com medo. Tem de fotografar”, disse a modelo Carine Berger, do alto de sua experiência. E Schiliró foi direto: “... tinha de superar esse medo e acho que fracassou nisso”.

Se no primeiro ensaio, tiveram de lidar com cobras e araras, no segundo, roupas pesadas de inverno e cães indiciplinados (um deles chegou a fazer xixi na candidata!). É uma realidade que toda a modelo tem enfrentar: fotografar as coleções de inverno sob calor intenso e coleções de verão nas baixas temperaturas.

Felizmente o público salvou a baiana Tamires, com 44% dos votos. Mas, se fosse um contrato de trabalho, ela estaria em maus lençóis.

Fotografar entre cobras e lagartos é uma metáfora para a gente pensar. Acho que temos a nossa parcela de responsabilidade como fotógrafos e produtores de cena, pelo bom resultado do ensaio.

Animais em um set de fotografia exige muito de todos. E um dos mais belos tem Jamie Rishar na pele de uma "menina fantástica" pra valer, contracenando com o simpático chimpanzé, no ensaio de moda do suíço Michel Comte (descoberto por Karl Lagerfeld).

Comte já realizou campanhas para Armani e Dolce & Gabbana. Colabora para as revistas Vanity Fair e Vogue. É autor de uma foto de Carla Bruni arrematada por 91 mil dólares em um leilão da Christie’s (2008).

Curiosamente, realiza seus retratos preferencialmente em sessões privadas na suíte 152 do Hotel Ritz de Paris. Mas "o outro lado" dessa história, é que Comte está engajado na Cruz Vermelha retratando zonas de conflitos.

A linguagem do ensaio


"Comecei a fazer sequências porque aquilo sobre o que queria falar eu não podia encontrar na rua; tinha que ser construído. Para mim a realidade não é o acontecimento na rua; é toda minha experiência. Não é apenas o que eu vejo, mas o que sinto. Eu prefiro fotografar sentimentos. Mais que fotografar uma mulher chorando, quero fotografar a razão pela qual ela está chorando. Prefiro fotografar a dor. Mais que fotografar um homem dormindo num divã, eu prefiro fotografar os sonhos dele. Estou mais interessado na natureza das coisas que em sua aparência."

Este relato é de Duane Michaels, e exprime com muita propriedade a essência de um ensaio fotográfico e sua linguagem. Ninguém chega ao mundo da fotografia sabendo realizar um ensaio. Intuitivamente é possível, mas o maior aprendizado está na observação.

Quando achei que havia feito meu primeiro ensaio, reuní algumas imagens que havia feito sobre um clássico da arte de rua, o Just Writing My Name
e levei para a turma do Luminous, onde tive a felicidade de ter o material analisado pelos colegas fotoclubistas sob a batuta do Milton Galvani.

Foi aí que eu vi que (na verdade) o que eu tinha gerado não passava de uma sequência de imagens fotojornalísticas.
Mas o bom é que eu tinha material suficiente para transformar em um belo ensaio! E assim o fiz. Cartier Bresson diz que "em fotografia a menor coisa pode ser um grande assunto". E eu passei a procurar naquele grupo de imagens, por pequenas coisas.

Há coisas básicas que se precisa saber para se elaborar um bom ensaio:


A primeira delas é a escolha do tema ou assunto - que por si só já traduz a intenção do fotógrafo, anuncia a mensagem. Criei um ensaio que intitulei "Na Linha", pois passei alguns meses sobre os trilhos, capturando as tais "pequenas coisas" até me dar conta de que estava em uma "viagem" dentro d'outra.

Assim como meu tema foi objetivo, um ensaio permite trabalhar com a subjetividade. Como Michaels disse "prefiro fotografar os sonhos dele". Ora, você deve estar se perguntando: "que tipo de câmera uso para fotografar sonhos?". Quer saber? A sua imaginação é a melhor câmera! Um dos mais deliciosos "sonhos" que já vi fotografado, é o "Self Portre among friends" de meu querido Sérgio Duarte.

A abordagem, ou seja, a maneira como o tema será tratado é muitíssimo importante! Se o tema já aguça a curiosidade (e também demonstra a curiosidade do autor), a sua abordagem vai revelar suas sutilezas (e ousadias). Fred Othero abusou da sensualidade masculina no ensaio Intercourse, por exemplo. Confesso que é divina uma abordagem tão insinuante e ao mesmo tempo cheia de plasticidade e classe.

O mais interessante na maneira de abordar o tema é que ela se estende à técnica utilizada, uso (ou acentuação) de cores, formas, filtros, distorções, enfim, à manipulação dos pixels que a era digital permite. Ou, pelo contrário, algo minimalista pode ser o máximo!

Há maneiras e maneiras de "aditivar" o ensaio: através do próprio processo de edição com sons, movimento, pela ordem que impusermos às imagens, enfim, aqui o processo de criação tem o céu como limite. O resultado final deverá um conteúdo rico e cheio de plasticidade (ou o que se condiciona chamar de "unidade visual") - que dá ao ensaio aquela sensação harmoniosa.

No mais, se quiser construir um bom ensaio, não se preocupe com o fator tempo. Há ensaios que levam dias, meses, anos. Lembro-me de um ensaio no qual uma câmera parada foi colocada no mesmo lugar a cada vidara de estação no período de um ano. Era possível sentir no tom do céu e na ação da atmosfera sobre a grande árvore que protagonizava a cena o "caminhão" de mudanças que havia passado por ali!

Treinar, treinar o olho para se tornar um caçador impiedoso de detalhes e a mente ávida por construções e desconstruções, engendrar.

Ensaie o seu ensaio!

Tina Andrade

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Nosso primeiro encontro

O primeiro encontro do fotoclube aconteceu nesta quarta-feira, 3 de novembro na sala Isaac Grinberg, no prédio do Patrimônio Histórico (Biblioteca Municipal).

De acordo com a programação, foi feita a reapresentação mais detalhada da proposta e projetos, houve espaço para o networking na hora do lanche e foi bárbaro nosso primeiro exercício interativo. O ponto alto da estreia, sem dúvida, foram as apresentações dos membros - momento pelo qual todos passarão.

"Aprendi muitas coisas hoje e começo a fotografar amanhã!" - a frase foi um misto de alegria e humildade do querido colega Ricardo Teixeira (lenda-viva do fotojornalismo local) ao final do encontro.

Acompanhe a agenda para participar conosco dos próximos.

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Estudos dirigidos

Este é um espaço de construção e compartilhamento do conhecimento, a partir das referências bibliográficas aqui relacionadas. Estes conteúdos irão nortear nossos estudos. Fichamentos, resenhas, sinopses de livros, textos, apostilhas e referências são muito bem-vindos.

-----------------------------------------------------------------

Textos

- acadêmicos:
O. FOTOGRAFIA INCLUSIVA - COMO DAR ACESSO AO CONTEÚDO JORNALÍSTICO DA FOTOGRAFIA DE IMPRENSA À PESSOA COM DEFICIÊNCIA VISUAL - trechos da obra de ("Tina Andrade") FONSECA, Cristina O. Fotografia inclusiva: tradução intersemiótica e dimensão expressiva para "imprensa acessível". 109f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Mestrado em Semiótica, Tecnologias da Informação e Educação, Universidade Braz Cubas, Mogi das Cruzes, SP, 2012.
MAUAD, Ana Maria. Fotografia e história. Online.
SANTOS, Jorge Viana. Fotografia, memória e mito: o álbum de casamento como recriação imagética de um rito social.
PELLEGRINI, Luiz Fernando Gama. Direito autoral do fotógrafo. Restrições quanto as obras de arte plástica protegidas. Online.

- tutoriais:
A Linguagem do Ensaio - Tina Andrade
Como geoposicionar suas fotos no Flickr - Tina Andrade
Como a fotografia pode ser 'vista' por uma pessoa com deficiência visual - Tina Andrade
Como montar sua câmera fotográfica de lata - Erica Canuto
How to transform a room into a camera obscura - Howcast
Nomeando arquivos de fotos digitais - Microsoft (BR)
Aprenda brincando os controles de sua câmera - Camerasim.com

- artigos livres:
A bela e "o" fera - Tina Andrade

- exercícios criativos:
Como transformar imagens textuais em textos visuais
"Fora de lugar" - interCLICKS 3, coluna F5

- instrumental:

Lojinha
























Camiseta oficial do Fotoclube do Alto Tietê
P | M | G | GG
R$20,00*

(*) valor sujeito à alteração sem aviso prévio. Foto meramente ilustrativa. Produto sob encomenda.

e-Clipping



Matéria veiculada no programa 193 Disponibilizada em 9/12/2012 
Veículo: TV do Bem com Erika Lemes 
O programa é exibido pela NET CIDADE, Mogi das Cruzes e vai ao ar (inédito) nas sextas às 19h30 sábados neste mesmo horário, aos domingos às 13h30; segundas e quartas às 16h00, terças às 06h00 e quintas às 11:00. 
Reportagem: Bruna Santos 
Imagens: Leandro Gomes 
Título: Entrevista com Tina Andrade 
Retranca: imaginaSOM 
Link para recuperação: http://youtu.be/gYkL9LAoyHA



Lisandro Braga fala sobre sua experiência na imaginaSOM para a TVT

Matéria adicionada em 07.09.2012
Veículo: TVT

Canal 48 UHF no ABC e Grande São Paulo. 
Canal 46 em Mogi das Cruzes e Alto Tietê.
TV a Cabo no ABC - ECO TV- canais 96 (analógico) e 9 (digital) NET.
TV a Cabo em São Paulo – TV Aberta – canais 9 e 72 TVA (analógico) NET 
e 186 (digital) TVA.

Editoria: Cidadania
Título: Deficientes visuais têm acesso à informação no ImaginaSOM
Linha-fina: A 2ª Mostra de Inclusão Visual - ImaginaSOM, em Mogi das Cruzes, possibilita que deficientes visuais tenham contato com a fotografia jornalística. A mostra conta com alguns dos melhores repórteres fotográficos do Alto Tietê.
Reportagem : Jânio Valim


Jornal Notícias de Poá

Matéria veiculada em: 01.09.2012
Veículo: Notícias de Poá
Edição: 1519 p. 7
Título: Exposições Fotos são decodificadas para cegos em mostra
Foto: Jonny Ueda, Fotoclube do Alto Tietê



Em primeiro plano a foto mostra a mão de um homem segurando um microfone sobre o qual se vê a logomarca TV DIÁRIO. O homem entrevista Jonny Ueda, repórter fotográfico e coordenador geral da II Mostra de Inclusão Visual - imaginaSOM. Ao fundo vê-se parcialmente o cartaz da exposição e algumas obras sobre a parede branca.
Cobertura da II Mostra de Inclusão Visual - imaginaSOM na TV Diário

Matéria veiculada em: 01.09.2012 às 18h24
Veículo: TV Diário
Editoria: Cultura
Título: Exposições contam história de Mogi das Cruzes
Retranca: 452 anos de Mogi
Linha-fina: As comemorações pelos 452 anos de Mogi das Cruzes têm uma programação variada. Um pouco da história da cidade pode ser vista em exposições montadas, inclusive, para promover a inclusão social.
Reportagem : Saulo Tiossi
Imagens: Ricardo Rangel
Link para recuperação: http://www.tvdiario.com.br/diariotv/index.php?option=com_content&view=article&id=15281:exposicoes-contam-historia-de-mogi-das-cruzes&catid=47:cultura&Itemid=34






Matéria publicada em: 26.08.2012
Veículo: O Diário de Mogi
Editoria: Cidades
Título: Mostra de fotos reflete sobre inclusão

Retranca: Social
Linha-fina: Fotógrafos expõem obras a partir de amanhã no Espaço da Câmara

Reportagem : s/a
Ilustração: Tina Andrade - Divulgação



Matéria publicada em: 26.08.2012
Veículo: Jornal Sete
Editoria: Local e Regional

Título: Exposição tem vários fotógrafos da Região

Retranca: Câmara

Linha-fina: Cleomar Macedo, fotógrafo do Sete, participa com esta foto
Reportagem : s/a
Fotografia: Cleomar Macedo



Matéria publicada em: 29.08.2012
Veículo: O Diário
Editoria: Caderno A
Título: Mostra Inclusiva em cartaz
Retranca: Mostra fotográfica
Linha-fina: Numa iniciativa
do Fotoclube Alto
Tietê, a exposição
permite também
o acesso a
deficientes visuais
Reportagem : Mariana Nepomuceno
Fotografia: Eisner Soares





Matéria publicada em: 02.09.2012
Veículo: Jornal Mogi News (online)
Editoria: Região
Título: Mostra de inclusão exibe imagens
Retranca: Inclusão


Matéria publicada em: 30.08.2012
Veículo: Mogi News
Editoria: Cidades
Título: s/t
Retranca: CAPA
Linha-fina:
Legenda: Exposição: II Mostra de Inclusão Visual acontece na Câmara Municipal
com diversas obras de fotógrafos locais, inclusive da equipe do Mogi News
Reportagem : Cristina Gomes
Fotografia: Daniel Carvalho






Matéria publicada em: 30.08.2012
Veículo: Mogi News
Editoria: Opinião
Retranca: Contracapa
Título: Exposição
Linha-fina: Fotógrafos - Melhores fotos - Outros Sentidos
Fotografia:  Daniel Carvalho



Matéria publicada em: 14/09/11
Veículo: O Diário de Mogi
Editoria: Cidades
Retranca: Sacra
Título: "Exposição mostra capelas da região"
Reportagem de L. Yuka
Fotografia de Jonny Ueda
Foto publicada em: 09/09/11
Veículo: O Diário de Mogi
Editoria: Cidades
Retranca: Oportunidade
Título: "Mogiano entrega livro à ministra"
Reportagem de Danilo Sans
Fotografia de Tina Andrade

Matéria publicada em: 19/08/11
Veículo: O Diário de Mogi
Editoria: Cidades
Retranca: Fotoclube do Alto Tietê
Título: "Mostra defende inclusão visual"
Linha-fina:
Reportagem de Danilo Sans
Fotografia de Ricardo Pedroso*
Link para recuperação:
http://www.odiariodemogi.com.br/noticia_view.asp?mat=31334&edit=6




Matéria publicada em: 21/08/11
Veículo: Mogi News
Editoria: Variedades
Retranca: Fotoclube do Alto Tietê
Título: Grupo abre a mostra "imaginaSOM"
Linha-fina: Esta é a primeira mostra de inclusão visual da cidade..."
Reportagem de Regiane Diniz
Fotografia de Jorge Moraes
Link para recuperação:
http://www.moginews.com.br/materias/matimp.aspx?idmat=101254

Matéria veiculada em: 24/08/2011
Veículo: TV Diário - Mogi das Cruzes, canal 38
Editoria: Diário TV 1ª Edição
Retranca:
Título: "Exposição tem fotos feitas por deficientes visuais"
Linha-fina:
Reportagem de João Gabriel Bressan
Imagens de Marcelo Cardoso
Link para recuperação:
http://www.tvdiario.com/diariotv/index.php?option=com_content&view=article&id=5169:caravana-vai-discutir-direitos-das-pessoas-com-deficiencia&catid=51:mogi-das-cruzes&Itemid=34


Matéria veiculada em: 24/08/2011
Veículo: TV MogiNews (web tv)
Editoria: Cidades
Retranca:
Título: Imagina Som, mostra tem fotos produzidas por deficientes visuais
Linha-fina: Uma mostra, que pode ser visitada até hoje, prova que a sensibilidade para fotografas independe da visão
Reportagem de Janaína Rodrigues
Imagens de Evandro Assis
Link para recuperação:
http://www.tvmoginews.com.br/Default.aspx?id=13311
Outras publicações: Coluna de Silene Pinto Coluna de Mariana Nepomuceno e Midiace
oOo

[e-Clipping] "Virada fotográfica"
Matéria publicada em 19/07/11
Veículo: MogiNews
Editoria: Variedades
Repórter: Suéller Costa
Foto de "Jonn Yueda" - enviada pelo Fotoclube

Link para recuperação:
http://www.moginews.com.br/materias/?idmat=98395&idedito=6&ided=1268

Conteúdo:


Virada Cultural é tema de mostra
Promovida pelo Fotoclube Alto Tietê, exposição revela
com muito brilho e cores curiosidades do evento mogiano


Quem passar pelo Terminal Central poderá
conferir as 128 imagens que destacam a Virada Cultural
O Fotoclube Alto Tietê não podia ficar de fora do Festival de Inverno - Serra do Itapety. Para o evento, eles prepararam algo especial. Quem passar pelo Terminal Central poderá conferir uma mostra que destaca os melhores momentos da Virada Cultural de Mogi das Cruzes. Intitulada "Virada Fotográfica", a produção reúne os trabalhos realizados ao longo do evento mogiano. Registros sob o olhar de profissional e de espectador das apresentações que contagiaram a cidade. Flashes que podem ser prestigiados diariamente no espaço público. A entrada é franca.

No total, 128 imagens compõem a mostra mogiana. Elas foram registradas pelos fotógrafos Antonio de Pádua, Douglas Theófilo, Eduardo Dalhke, Fernanda Geggus, Hendi Ducarmo, Hisao Shirabiyoshi, Jonny Ueda, Maria Alice Grigoli, Matheus Sant´Anna, José Maurício (Natú) Junior, Anderson Oliveira e Tina Andrade, fotoclubistas apaixonadas por música, teatro e arte popular. Eles acompanharam as 24 horas de programação, espalhando-se pelos pontos que serviram de palco para os artistas.Dentre as imagens, os destaques ficam por conta dos bastidores dos grupos artísticos, em especial da banda Superchunk.

"Uma exposição diferente, produzida inteiramente pelos fotoclubistas. Cores, brilhos e luzes destacam os detalhes, o movimento, a grandiosidade do evento", observou Tina Andrade, presidente do grupo.



Apaixonado pela fotografia
entrevista com Jonny Ueda - diretor de fotografia do Fotoclube do Alto Tietê
O Diário de Mogi, domingo, 31 de outubro de 2010
CADERNO A - página 35
Silene da Cunha Pinto
Versão online



Cidade ganha Fotoclube do Alto Tietê
Moginews, quarta-feira, 27 de outubro de 2010
Caderno VARIEDADES - PÁGINA 1
(SC)
[clique na imagem para ler a matéria]


Na quarta-feira (27), será oficializado, em cerimônia especial, a inauguração do Clube da Imagem Fotográfica da Região do Alto Tietê, sob responsabilidade da jornalista Tina Andrade em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, às 19h, no Casarão do Carmo. O fotoclube promoverá palestras abertas, cursos, workshops, saídas fotográficas assistidas, exposições e leituras de ensaios, além de bienais e salão de fotografia. Os encontros acontecerão quinzenalmente às quartas-feiras, a partir das 19h, na Divisão de Patrimônio Histórico da Biblioteca Municipal, que fica à Rua Coronel Souza Franco, 993 – Centro. Estão todos convidados!

Fonte: Secretaria Municipal de Cultura de Mogi das Cruzes, quarta-feira, 20 de outubro de 2010.
Newsletter distribuída por email